mom-863050_1280

No e-book sobre Parentalidade Construtiva eu falo sobre essa questão dos elogios em comparação com os reconhecimentos e hoje o post é especificamente sobre isso.

Ultimamente tenho pensado muito em elogios e a forma que os fazemos à crianças… aquilo que a maior parte de nós faz quando uma criança  vem mostrar um desenho…. “Que lindo!!” ou quando o nosso filhote desce o escorrega… “Muito bem!”…

Muitas vezes, entre pais e filhos, os elogios tornam-se uma forma de exprimir amor… Mas elogios não são amor…

Acabamos elogiando demais nossos filhos por ações corriqueiras, não que seja ruim elogiar. Mas comecei a prestar atenção que na verdade quando elogio meus filhos por tudo e por nada, acabo fazendo com que eles fiquem dependentes da minha validação para se sentirem bem.

Então como já havia sugerido no e-book, tenho experimentado trocar os elogios feito a eles reconhecimentos pela a ação que realizaram, dessa forma eles se sentem motivados a repetir ações e não ficam dependentes de validação.

Digamos que minha filha arrumou os brinquedos da sala, invés de dizer:

  • Filha, a mamãe te ama, parabéns por você ser tão organizada.

Posso dizer:

  • Que bom que você arrumou a sala, isso me ajuda bastante, fico feliz!

Em uma outra situação onde seu filho participa de um jogo de futebol:

  • Filho, você jogou muito bem. Você foi o melhor!

Posso dizer:

  • Parece que está se divertindo muito filho! Gosto de te ver jogar.

Um terceiro exemplo, se sua filha arrumou o quarto:

  • Que linda, muito bem por arrumar seu quarto!

Poderia ser substituído por:

– Adoro quando o seu quarto está assim tão arrumado. Obrigado pela tua ajuda!

Quando eles fazem um esforço grande com alguma coisa, eu escolho elogiar. Senão procuro usar essas alternativas.

A alternativa ao elogio chama-se reconhecimento.

Após estudo, leitura e experiências com os meus próprios filhos, acredito que o reconhecimento, e não o elogio, é a melhor forma para ajudar crianças a desenvolver uma auto-estima saudável, essa é minha opinião.

Estou treinando e me lembrando de aplicar o reconhecimento com eles no dia-a-dia.

Li sobre crianças que ouvem muitos elogios na infância e acabam ficando inseguras e dependentes de elogios e de aceitação alheia, isso não é muito bacana.

A ideia é usar uma forma de se comunicar positivamente, mas sem banalizar os elogios.

O que você acha de tentar?

Mudanças, etc e tal.