Algumas vezes acho que as pessoas estão perdendo a noção do quanto devem expor os seus filhos, aqui neste post vou falar para vocês de 7 fotografias do seu filho que você não deve (na minha opinião) publicar nas Redes Sociais.

Segundo o site Painel Político : “Mais de 90% dos pais brasileiros postam imagens de seus bebês nas redes sociais. Basta, hoje, observar a timeline de um usuário, a página de notícias do Facebook, que, certamente, haverá fotos de crianças, seja na piscina, dormindo, comendo ou até mesmo assistindo à televisão. O que antes poderia ser visto como algo “fofinho e engraçadinho” virou mania virtual e foi quantificado pela empresa AVG, de segurança e proteção na internet, em uma pesquisa mundial divulgada este mês. O estudo, realizado com 5,4 mil pais de 11 países, incluindo aí o Brasil, mostrou que postar fotos de bebês nas redes socais já é um fenômeno. Segundo os dados, 81% das mães e pais no mundo postam fotos de seus filhos on-line. A prática é ainda mais exacerbada no Brasil, onde 94% dos pais a adotam. A maioria das fotos postadas (62%) é de bebês de até 1 ano e pelo menos 30% são de recém-nascidos. No Brasil, os pais costumam postar mais fotos de crianças de 3 anos ou mais, e apenas 12% de recém-nascidos.”

Não acho que isso seja necessariamente um problema, só acho que temos que ter cuidados especiais  com aquelas fotos que possam colocar em risco a segurança ou envergonhar o seu filho.

Neste tempos, com as redes sociais fazendo parte de nossa vida de forma tão intensa e quase natural, as pessoas compartilham os seus momentos pessoais com a rede sem se dar conta de  que, depois de publicada determinada informação, é praticamente impossível fazê-la desaparecer. As fotografias de crianças não são exceção.

Essas fotografias ficarão por um tempo indeterminado na internet e apesar da criança ser pequena hoje, ela irá crescer e a informação sobre ela certamente ainda estará pela rede. Além disso muitas crianças, amigos e colegas de escola do seu filho tem acesso às páginas das redes sociais dos pais e facilmente conseguem ver as fotos partilhadas.

Eu entendo que cada família analisa os riscos e faz as escolhas.  Na minha opinião, há momentos que devem ser particulares para proteger a segurança da criança e afastar pessoas mal-intencionadas.

Segundo Alba Caraballo do guia infantil.com existe uma prática chamada de Morphing onde  algumas pessoas copiam fotos tiradas da internet e fazem uma montagem fotográfica com uma foto pornográfica.

Seria no mínimo dramático ver uma montagem assim com nosso filho.

Mas vão a seguir as fotos que penso que você não deva publicar:

1. Fotos que se possa identificar o local e dar chance á sequestradores

Não publique fotografias do seu filho onde sejam evidentes os locais que frequenta e as suas rotinas diárias.

Fotos de colégio, academia, igrejas e outros locais que podem ser identificadas não são recomendadas e pior se houver informações de rotina, estes podem ser os dados que os Oportunistas esperam para planejar um sequestro ao algo do tipo.

2. Hora do Banheiro – Cuidado para não expor as parte íntimas

Para nós, ver nossos filhos tomando banho é um momento de tranquilidade e ternura, mas este é um momento extremamente privado.

Temos que ficar atento para não divulgarmos fotos que expõem as partes intimas das crianças. A intimidade e o corpo da criança não devem ser partilhados na rede de forma alguma.

A criança esta aprendendo a usar o penico? Por mais que você ache lindo este momento de evolução e maturidade, saiba que ele é muito particular.Guarde essa lembrança só para você e sua família.

Caso você queira postar, cuidado para não expor as partes íntimas.

3. Quando a criança esta triste ou doente

Se o seu filho estiver doente ou magoado, não partilhe esses momentos.

A criança merece estar recolhida e ver a sua privacidade respeitada num momento de  fragilidade.

4. Fotos ou vídeos constrangedores

Partilhar fotografias embaraçosas da criança é uma forma de humilhação.

Estas imagens podem ser vistas por amigos e colegas e ninguém gosta de ser o “bobo da corte”.

Preserve a imagem do seu filho perante o grupo que ele pertence, pense antes de compartilhar algo que possa constrangê-lo.

5. Informações Pessoais

Não divulgue informações que possam facilmente identificar o seu filho.

O nome completo, o endereço, as rotinas, as pessoas com quem ele fica durante o dia, a creche que frequenta…

6. Fotografias de Grupo

Se não se importa de colocar fotos do seu filho na internet, o mesmo pode não acontecer com os pais de outras crianças.

Tenha cautela ao publicar fotos que tenham filhos de outras mães, ela pode não gostar de ver o filho exposto na internet e você acabar ficando em uma situação bem embaraçosa, na minha opinião ninguém deve publicar foto do filho dos outros sem autorização, é uma invasão de privacidade.

Ainda que você tenha uma excelente foto do seu filho, mas onde seja possível identificar outras crianças, você não deve publicar.

Acima de tudo é preciso usar de bom senso e levar em conta os direitos, proteção e segurança da criança e da família.

Expor a sua vida ou fragilidades na internet não é forma de se proteger nem a melhor maneira de divertir os amigos.

Caso decida publicar fotos dos seus filhos nas redes sociais, tenham em conta essas medidas de segurança, o Estatuto da Criança e do Adolescente  diz que: O Direito da Infância e Adolescência tem regras instrumentais de natureza Cível e infracional, de rito especial instruído, a inserção de textos no Facebook ou outras mídias que exponham criança ou adolescente é ilegal, porque fere o Direito de Respeito destas pessoas em desenvolvimento.

Constituição da República, no seu artigo 227, estabelece que é dever do Estado assegurar à criança e adolescente, com absoluta prioridade, o direito à educação, à dignidade e ao respeito, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação e opressão. A lei é clara quando diz que nenhuma criança será objeto de qualquer forma (artigo., do ECA) de negligência, de discriminação, de opressão, punindo-se qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais.

Muitas vezes falamos do que as crianças ou adolescentes devem postar e compartilhar nas redes, mas vemos os pais expondo suas vidas de forma muito mais irresponsável.

Pese os prós e os contras antes de divulgar fotos dos seus filhos, muitas vezes não temos os “olhos” maldosos que as pessoas do outro lado da tela tem.

Beijos no coração.

Atenção, etc e tal